quarta-feira, 21 de setembro de 2011

AMERICAN BANK NOTE COMPANY



Fig. 1 – Prédio da American Bank Note Company (ABNCo.) de 1867 à 1884 – Broadway Street 142, Nova York. (TheBanker`s Almanac, V. XXIII, 1874, New York, p.1).


Fig. 2 – Propaganda da ABNCo. em inglês, francês e espanhol (The Banker`s Almanac, V. XXIII,1874, New York, p.2).
  
A empresa American Bank Note Company (ABNCo.) foi criada por Robert Scot em 1795 e consolidada em 1856/58. Segundo F. dos Santos Trigueiros, a história da empresa esta ligada a Paul Revere, que “...em 1775, pela primeira vez, empregou o processo calcográfico na impressão de valores, ou seja, gravou nos Estados Unidos da América o primeiro bilhete de banco, sendo considerado o Pai da Indústria” (in, Dinheiro no Brasil. F. dos Santos Trigueiros. Rio de Janeiro, 2ª edição, Léo Cristiano Editorial, 1987, p.171).
A empresa, no decorrer dos anos, produziu, além de cédulas bancárias, selos postais, certificados de ações, cheques de viagem, passaportes, cupons alimentares e outros documentos de segurança.
A ABNCo. foi uma das maiores empresas de impressão de papéis de segurança do mundo, quiçá a maior. Entre as concorrentes podemos citar a inglesa Thomas de La Rue & Company (TDLR), hoje, apenas De La Rue. Produziu cédulas para cerca de 115 países diferentes.
A ABNCo. produziu cédulas bancárias até a década de 80. Seu prédio, em Manhattan (70, Broad Street), foi construído entre 1907/1908 em estilo neoclássico e foi vendido a investidores imobiliários em 1984. Os antigos materiais da empresa, como os modelos de cédulas (specimens), provas, ensaios e até mesmo chapas de impressão, começaram a ser leiloados a partir de 1993 e ainda podem ser encontrados nos dias de hoje.
A empresa continua existindo, agora com nova denominação - American Banknote Corporation (grupo ABnote) - sempre no campo de documentos de segurança.
Atuava no Brasil e foi recentemente vendida, produzia, entre outros artigos, cartões telefônicos.
Datam de 1857 os primeiros trabalhos realizados pela ABNCo. para o Brasil. Foram os bilhetes da Caixa Matriz do Banco do Brasil (1853-1889). Para o Tesouro Nacional (Órgão que se ocupava do Meio Circulante antes da criação do Banco Central), as primeiras cédulas foram realizadas em 1869 - 5 e 10 mil-réis, apresentando a efígie de D. Pedro II, ainda jovem -, e as últimas em 1966 - cédula de 10.000 cruzeiros (C060 e C060A), trazendo Alberto Santos Dumont e o 14 bis.
Portanto, a ABNCo. forneceu cédulas para o Brasil de 1857 a 1966 (109 anos), uma relação mais do que centenária.

Obs.: Este texto faz parte da matéria intitulada “JoaquimMurtinho e o caso da Cédula de 2 mil-réis de 1900” publicado no Boletim da AFSC – Associação Filatélica e Numismática de Santa Catarina n˚63, de março 2011, p. 4-19.

 Assuntos relacionados
- Santos Dumont

Veja Também: ABNCo. :  Brasil e Estados Unidos

Autor: Marcio R. Sandoval (sterlingnumismatic@hotmail.com)